• (11) 3466.5015
  • contato@lmtelecom.com.br

Ancine deve rediscutir coordenação de pirataria dia 12

Fonte: TeleViva

Foto - Ancine deve rediscutir coordenação de pirataria dia 12

O assunto é hoje a principal prioridade de canais, programadores e operadores de TV por assinatura, bem como detentores de direitos, como estúdios e emissoras de TV. Em agosto de 2017 o Conselho Superior de Cinema aprovou uma resolução recomendando a criação de uma unidade de combate à pirataria e um grupo de trabalho. Este ano, na mesma linha, o Conselho Superior de Cinema aprovou ainda uma resolução sugerindo à Ancine a criação de uma câmara técnica sobre o tema.

Mas no último dia 6 de março o colegiado da Ancine, atualmente composto por apenas três integrantes (o presidente Christian de Castro, Débora Ivanov e Alex Braga Muniz) decidiu contrariamente à criação da coordenação de combate à pirataria. A proposta pela criação havia sido levada pelo diretor-presidente, mas foi rejeitada pela diretoria por dois votos a um sob o argumento de que seria necessário o "aprofundamento das ações e procedimentos relativos ao Programa de Combate à Pirataria, bem como um maior detalhamento das atribuições e estrutura necessárias ao funcionamento da futura unidade". A decisão da Ancine causou surpresa e indignação entre os setores que defendem mais proatividade da agência no combate à pirataria, sobretudo detentores de direitos e as empresas de TV paga, que preparam uma representação a ser levada ao Conselho Superior de Cinema, segundo apurou este noticiário. O CSC se reunirá justamente dia 11 de abril, um dia antes da reunião da diretoria da Ancine.

Débora Ivanov explicou a este noticiário, por meio de nota, que seu voto "não foi de oposição à criação de uma coordenação anti-pirataria, pois todos sabemos que a falsificação e a reprodução de conteúdo audiovisual sem o devido pagamento de propriedade intelectual é crime. Não há o que se opor a isso". Segundo a diretora, "o que ponderei foi que o projeto precisa estar mais amadurecido e estruturado antes de sua aprovação. Já temos uma coordenação na Superintendência de Fiscalização com atribuições regimentais de gerir o programa anti-pirataria. Para criar uma nova coordenação precisamos de um planejamento a ser feito com a Câmara Técnica que vamos estabelecer com a participação da sociedade civil. Ou seja, em nenhum momento me opus à ideia ou à proposta. Apenas expressei minha opinião para que o projeto fosse mais elaborado".

Segundo apurou este noticiário, a proposta que será novamente levada à diretoria da Ancine na próxima reunião deverá conter um detalhamento maior de como funcionará, qual a estrutura necessária, de onde virão os recursos e as principais linhas de ação. Não haverá a criação de cargos adicionais pois as funções serão remanejadas de outras áreas. Segundo o voto derrotado do diretor-presidente, Christian de Castro, a ideia da coordenação é que ela possa representar a Ancine junto a outros agentes públicos envolvidos no combate à pirataria, inclusive junto aos órgãos que cuidam da investigação e repressão.

Contexto turbulento

A decisão do colegiado da Ancine de rejeitar a criação da coordenação está inserida em dois outros cenários: existe um incômodo de parte da equipe técnica da agência em relação às recomendações do Conselho Superior de Cinema que afetam diretamente o funcionamento da Ancine. Recentemente uma das resoluções do CSC recomendou à agência a revisão de sua estrutura organizacional e a avaliação dos instrumentos normativos, proposta abraçada pelo diretor-presidente, mas que enfrenta resistências internas na Ancine por ser considerada uma interferência na independência funcional do órgão regulador.

O outro contexto é o da recomposição do colegiado, desde que a vaga do ex-diretor Roberto Lima ficou aberta, em janeiro. O ministro Sérgio Sá Leitão e o presidente Christian de Castro trabalham abertamente para que Fernanda Farah, do BNDES, seja a nova diretora. Ela havia sido indicada pelo presidente Temer ao Senado no ano passado, mas teve seu nome retirado por uma questão burocrática e pessoal junto ao BNDES. Existe, de outro lado, uma inclinação de outra parte do colegiado da Ancine, em conjunto com a deputada Soraya Santos (MDB/RJ), para a indicação de um  nome alternativo, possivelmente do próprio corpo técnico da agência.

 

Outras Publicações

Aprovada destinação de faixas de frequências de 2,3 GHz e 3,5 GHz

A destinação e o regulamento sobre condições de uso das faixas de radiofrequências de 2,3 GHz e de 3,5 GHz foram deliberadas pelo conselh...

Leia +
Mais da metade da população segue ouvindo rádio.

No ano em que mais da metade da população brasileira ouviu rádio todos os dias, segundo pesquisa Book de Rádio do Kantar Ibope Media, o meio se rein...

Leia +
LM Telecom esteve no Streaming Brasil

Da esquerda para a direita, Representante da Claro, Maurício (ABRATEL), José Eduardo (ABRATEL), Rodrigo Ferreira, gerente LM Telecom   &...

Leia +
Secretário de Radiodifusão quer que público avalie a qualidade do serviço

O secretário de Radiodifusão do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Elifas Gurgel, afirm...

Leia +
Câmara de São Paulo escolhe presidente e relator de CPI das Antenas

A Câmara Municipal de São Paulo instalou nesta quarta-feira, 13, uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para apurar eventuais irregularidades no...

Leia +
Contato

R. São Carlos do Pinhal 696 - Bela Vista São Paulo - SP

11 3466-5022

contato@lmtelecom.com.br

Criado e desenvolvido por Agência Hauze